New Site

sábado, 12 de abril de 2014

O aguardado Um Estranho no Lago chega aos Cinemas

10/04/2014 10:34 - Atualizado em 11/04/2014 13:16

 
Um Estranho no Lago é um suspense que aborda as relações homossexuais sem pudor ou preconceitos. O filme do diretor francês Alain Guiraudie trata do voyeurismo nos dias de hoje e a sua única locação é um paradisíaco ambiente natural. O lago do título é um ponto de encontro para gays tomarem sol e encontrar parceiros.
 
Na trama, um romance se desenvolve a partir de um assassinato. Franck (Pierre Deladonchamps) é um assíduo frequentador do lago que gosta de flertar com todos. Ele conhece o misterioso Michel (Christophe Paou), que tem um jovem amante. Esse jovem aparece morto no lago e mesmo que Franck seja um dos suspeitos, Michel se interessa por ele e os dois começam a se encontrar. 
 
Outro personagem interessante é o recém-divorciado Henri (Patrick d'Assumçao). Ele vai ao lago apenas em busca de paz, sem nenhum interesse sexual ou amoroso. Apesar de ficar afastado de todos, Henri também faz amizade com o novo frequentador do lago.  
 
Alain Guiraudie é também o roteirista do filme e, para fugir do estereótipo gay, cria uma gama bem diversificada de personagens. Essa variedade gera uma maior identificação, há o cara que quer apenas aventuras, aquele que se envolve mais, aquele que gosta só de olhar, aquele que não quer nada e gosta apenas de provocar, entre outros tipos.
 
Além de levar o premio de Melhor direção na Mostra Um certo Olhar do Festival de Cannes, Um Estranho no Lago também ganhou a Palma Gay, prêmio destinado a filmes com temática homossexual no Festival de Cannes.


Fonte: Século Diário

Quase um serial killer: “Pastorzinho” de 17 anos que matou gays em SP é encontrado

Acima de qualquer suspeita, N.A.R, de 17 anos, é filho de pastor evangélico. Alto, magro, bonito, lábios carnudos, dentes brancos e grandes olhos brilhantes, com uma Bíblia na mão em seu perfil em uma rede social, dificilmente seria identificado como um frio assassino. Mas ele é o autor confesso do assassinato do jovem Igor Alves, de 15 anos, de Agudos, a 20 km de Bauru, em São Paulo, cidade de apenas 35 mil habitantes. O acusado foi preso em Bauru nesta segunda-feira depois que outro menor de 15 anos, que também participou do crime, indicou a participação de N.A.R. na morte e o local onde o corpo de Igor foi deixado.

N.A.R. estava foragido desde o dia 2 de abril, quando o corpo de Igor foi encontrado com mais de 10 facadas em um reflorestamento na zona rural local. A polícia não divulgou detalhes em respeito à família, mas o corpo do jovem fora violado, com requintes de crueldade.

O “pastorzinho”, como era conhecido o assassino onde morava, já havia matado no ano passado um empresário homossexual da cidade, e até dois dias antes do crime, acontecido em 29 de março, ele cumpria medida socioeducacional pela participação no assassinato do homem de 56 anos. Um rapaz de 18 anos que participou com ele deste crime foi condenado por latrocínio. Segundo investigações do crime anterior, N.A.R. e o homem mantinham um relacionamento amoroso. N.A.R. também mantinha uma relação com Igor e, segundo seu comparsa na morte de Igor, ele planejava matar outro jovem da cidade com quem mantinha contato pela internet onde seduzia outro garoto para um encontro fatal.

A Lado A conversou com o delegado Jader Biazon, que efetuou as investigações do caso, que afirmou que o menor não tem remorso e afirmou que matou porque “tem ódio de homossexuais”. N.A.R. negou ser homossexual e disse ainda que havia afirmado na Fundação Casa, onde estava recluso até o início do ano, que voltaria a matar, mesmo assim foi colocado em semiliberdade. Para o delegado, o jovem aponta sinais de sofrer de algum transtorno mental e deveria ter ficado internado.

Segundo moradores locais, o jovem assassino acompanhava seu pai nos cultos da igreja da qual é pastor desde que regressou à cidade. A família teria ajudado N.A.R. a se esconder depois da morte de Igor. A vítima também era de família de fé evangélica e morava com os avós em Agudos que não aceitavam a sua sexualidade e ele planejava fugir de casa por causa do assassino.

O crime trágico mostra o que a homofobia religiosa é capaz. Um jovem que não era aceito em casa manteve um relacionamento mortal com um jovem que não aceitava a sua homossexualidade e possuía dentro de si um ódio tão grande capaz de transformá-lo em um serial killer (o termo é utilizado apenas para assassinos que mataram mais de três pessoas em série) de homossexuais. Ele seduziu e matou seus parceiros, por duas vezes, planejou um terceiro crime, e ainda assim negou ser homossexual, mas assumiu a autoria dos crimes, que em sua cabeça doente e impregnada de valores homofóbicos são algo menos grave do que ser homossexual.

O que dirão agora senhores pastores homofóbicos? Irão continuar a pregar que Deus não aceita os homossexuais? Quantos mais precisarão morrer em nome desta doutrina que prega o ódio e o auto ódio? 

Fonte: Lado A

O crime do jovem gay chileno ainda não tem culpados

O crime de Wladimir Sepúlveda Arce, um jovem homossexual chileno de 21 anos que faleceu no domingo depois de passar seis meses em estado vegetativo por causa de uma surra, continua sem esclarecimentos. O único suspeito de participar do ato de violência contra Arce, em outubro passado, Christopher Morales Flores, de 22 anos, permanece em reclusão noturna depois de se acusado de lesões graves: fica preso das dez da noite às seis da manhã do dia seguinte.
Movimento de Integração e Liberação Homossexual (Movilh), através de um comunicado, responsabilizou o magistrado a cargo da investigação, Pablo Aceituno: “Este juiz é o mesmo que no início deste processo e sem ter nenhum antecedente à vista não só descartou que o ataque fosse homofóbico. Além disso, qualificou de lógico e normal agredir as pessoas pela orientação sexual delas. Estamos avaliando iniciar ações disciplinares contra o juiz, porque seu desempenho neste caso foi inaceitável".
Wladimir Sepúlveda faleceu no domingo por causa de uma falha multissistêmica, depois de permanecer seis meses em estado vegetativo e conectado a um respirador em um hospital. Era um rapaz jovem de família simples, que na madrugada do dia 20 de outubro saiu com um grupo de amigos pelo centro do pequeno povoado de San Francisco de Mostazal, a uns 90 quilômetros ao sul de Santiago do Chile. As testemunhas coincidem em que a vítima se aproximou de um grupo de quatro jovens para pedir isqueiro e acender um cigarro. Neste momento, no entanto, as versões se contradizem.
De acordo com Jonathan, testemunha finque no caso, os rapazes lançaram-se sobre a vítima
O imputado alegou à Justiça que atuou em defesa própria, que foi uma briga de rua comum e que não havia sido motivada pela homofobia. Mas os amigos de Wladimir Sepúlveda relataram o contrário. De acordo com Jonathan, testemunha do caso, os rapazes avançaram sobre a vítima, começaram a chutá-lo e a enfrentá-lo por sua condição sexual: “Maricón, vamos te matar. Vamos te a masacrar, maricón” (um termo chulo em espanhol que faz referência ao homossexualismo). A irmã do falecido foi enfática: “Espancaram ele com perfídia”.
O juiz Aceituno indicou que os ataques verbais são “comuns” neste tipo de desentendimentos e, depois de acusar Morales pelo delito de lesões graves, determinou que cumprisse a pena de reclusão noturna. Depois da morte de Sepúlveda, no entanto, a Promotoria espera o relatório da autópsia para solicitar que se realize uma nova acusação contra o agressor, desta vez por homicídio, e que ele não possa sair da prisão durante o dia.
Tanto o Movilh quanto Jorge Mena, fiscal encarregado de investigar o crime, disse que um de seus objetivos é provar que foi um ataque homofóbico, com o objeto de enquadrar o julgamento no novo regulamento contra a discriminação. Conhecida como ‘lei Zamudio’, a disposição estabelece maiores penas para os delitos motivados pela rejeição a uma raça, religião, aparência ou condição sexual.
A lei foi aprovada pelo Parlamento em homenagem a Daniel Zamudio, um jovem gay chileno, de 24 anos, que em março de 2012 foi assassinado por uma quadrilha no centro de Santiago. Durante horas, o grupo bateu nele, o golpearam com pedras, fizeram suásticas com o gargalo quebrado de uma garrafa em seu peito e costas. Agonizou 25 dias em um hospital e faleceu por traumatismos múltiplos. Os quatro culpados foram condenados a penas que vão de 7 a 20 anos de prisão.
O Governo de Michelle Bachelet qualificou a morte de Wladimir Sepúlveda como “um fato doloroso e lamentável”. “Esta nova morte mostra quanto ainda falta para avançar como sociedade. Esperamos que a justiça faça seu trabalho, esclarecendo os fatos e aplicando as penas correspondentes”, indicou o ministro porta-voz do Executivo, Álvaro Elizalde.

O premiado curta-metragem "Os sapatos de Aristeu" agora pode ser visto na íntegra no YouTube

Por Redação em 19/02/2014 às 14h16
Vencedor do Grande Prêmio Canal Brasil, o curta-metragem "Os Sapatos de Aristeu" (2009), dirigido por Luiz René Guerraestá disponível para ser assistido na íntegra via YouTube. Essa é a primeira cópia oficial para internet. O vídeo, que trata o universo das travestis de modo extremamente sério, conta a história da travesti Aristeu, que morre e é preparada por suas amigas, também travestis, para o velório. Após receber a triste notícia, a família, com quem ele tinha uma conturbada relação, decide sepultá-lo como homem. Aí começa uma movimentação das travestis pelo resgate da identidade da amiga falecida.



""Os sapatos", para mim, é uma grande demonstração de amor à família e ao universo das travestis. Elas são minhas heroínas. São as mais corajosas desse universo LGBT, ao assumirem sua identidade por uma necessidade de expressão na vida", disse Luiz René em entrevista exclusiva à A Capa. O diretor diz que o filme é uma "fábula de reconciliação", uma historia sobre amor, perdão e fechamento de círculo. "Os sapatos de Aristeu" toca as pessoas por uma sensibilidade, que, em muitos casos só se manifesta na morte. "Às vezes, as pessoas percebem que em vida poderiam ter se aproximado das pessoas que amam", declara o diretor. O filme tem aberto inúmeras mesas de discussão sobre o universo transexual e das travestis.

Curiosidade
O filme aproximou uma das atrizes de sua família. Quem conta é o próprio René: "A Greta Star, que faz o corpo dos sapatos, não falava com a mãe há algum tempo. A experiência do filme fez com que passasse a mandar cartas para a mãe. Ela mandou o vídeo e a mãe disse: "mas eu nunca mandei você embora, você foi porque quis". O filme foi um motivo para que elas voltassem a conversar sobre o assunto e se reconciliassem".

O personagem Aristeu estará vivo no próximo trabalho de Luiz René, um longa-metragem chamado "Lili e as Libéluas", no qual fará a madrinha das travestis na trama. Assita "Os sapatos de Aristeu":


Ficha Técnica
Gênero: Ficção
Direção: Luiz René Guerra
Classificação: 16 anos
Duração: 17min
Elenco: Berta Zemel, Denise Weinberg, Greta Star, Phedra D. Córdoba e Renato Turnes

Delícia: Magic Mike vai ganhar continuação

Por Redação em 31/03/2014 às 13h19


Boas notícias pra que gosta de cinema e homem gostoso. Magic Mike, que estreiou aqui no Brasil em novembro de 2012, vai ganhar sequência.

Ainda não há informações sobre quem fará parte do elenco, mas Greg Jacobs será o responsável pela direção e o longa já tem nome: Magic Mike XXL.

O primeiro filme teve os maravilhosos Channing Tatum, Joe Manganiello, Matthew McConaughey, Alex Pettyfer e Matt Bomer.

Isso mesmo, só boy magia! Relembre o trailer de Magic Mike enquanto aguardamos a continuação:

Jude Law aparece pelado em filme; veja trailer e fotos

Por Redação em 11/04/2014 às 12h24
Jude Law aparece pelado em filme; veja trailer e fotos
O ator Jude Law aparece completamente pelado no filme "Dom Hemingway". Aos 40 anos, ele ainda continua com o corpo de dar inveja para muitos rapazes, mas sem exageros.

No Brasil, o longa ganhou o título de "A Recompensa". A história do filme é centrada no personagem de Law que é um ladrão de cofres e passa 12 anos na cadeia, por um crime que não cometeu.

O filme teve teve sua première mundial em 8 de setembro de 2014, no Festival de Toronto, e deve chegar aos cinemas nacionais no segundo semestre deste ano. Confira o trailer e fotos de Law pelado:

Jovem de 23 anos é espancado e preso por namorar adolescente; veja o vídeo

Por Redação em 10/04/2014 às 16h37
Jovem de 23 anos é espancado e preso por namorar adolescente; veja o vídeo
Um jovem de 23 anos, que não teve o nome divulgado, foi espancado pelos familiares do namorado de 15 anos no interior de São Paulo na última segunda (7). O espancamento foi filmado e o jovem só não apanhou mais porque a polícia chegou.
 
Os familiares descobriram o namoro por conta de mensagens trocadas entre o jovem e o adolescente. Aos familiares do adolescente, ele tentou negar que tinha alguma espécie de envolvimento com o garoto.
 
O vídeo mostra o jovem sendo segurado no chão pela mãe do namorado e tento a cabeça pisada pelo tio do adolescente. O rapaz chega a ser ameaçado e chamado de vagabundo. Apesar de estar com a roupa rasgada e com machucados pelo corpo, a polícia levou apenas o jovem para delegacia. 

Confira abaixo o vídeo e as mensagens trocadas pelo casal:

video




Hot Brazilian Orgy - 2 Scenes - 82min. total



http://videobam.com/xhdMc

Anthony & Dylan - JG


http://videobam.com/dXtyO

Alvaro's Exploading Hole - JG



http://videobam.com/nTXel

Alvaro Takes On The Master Roaster - JG



http://videobam.com/voEHY

Alvaro & Oscar - JG



http://videobam.com/pSglA

Alvaro and Andry - EGB



http://videobam.com/lzkuq

Alan & Rodrigo - LJ



http://videobam.com/BUpzW

Marcelo Mastro & Hugo - RS



http://videobam.com/CGegW

Yunny - Joel - Juan - Wilking - EGB



http://videobam.com/ELkMu

Ronny and Pavel - EGB


http://videobam.com/KYrjp

Jorge Y Fleuri - EGB


http://videobam.com/OnVcA

Cris-Aron - LJ



http://videobam.com/ltYXr

Ruff Rider- MF



http://videobam.com/RgjEd

1992 Jorges Gang Brazil Classic. Mielson - JG



http://videobam.com/AYRLR